APC na Luta pela Distribuição de Medicamentos

  • 1
Logo do MPRJ

APC na Luta pela Distribuição de Medicamentos

A APC tem a luta pelo atendimento e distribuição gratuita de medicamentos aos Parkinsonianos como parte de sua missão. Tendo em vista que desde o início de 2018 alguns medicamentos essenciais ao tratamento destes pacientes não vêm sendo encontrados na farmácia estadual do Rio de Janeiro, a Rio Farmes, fomos buscar formas de influenciar na solução desta questão.

Presidenta da APC, Dr. Wilma Costa Souza e o Promotor Dr. José Marinho Paulo Junior durante o encontro.

Presidenta da APC, Dr. Wilma Costa Souza e o Promotor Dr. José Marinho Paulo Junior durante o encontro.

Com o valoroso auxílio voluntário do advogado Dr. Guilherme José Pereira, realizamos reunião com o Dr. José Marinho Paulo Junior, Promotor de Justiça Titular da 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Saúde da Capital. Como resultado do encontro foi incluída na pauta de reunião a ser realizada em 15/05/2018 com o secretário de estado de saúde a normalização da distribuição dos medicamentos Clozapina e Amantadina.

Documento gerado pelo Ministério Público

Documento gerado pelo Ministério Público

Para entender melhor o problema, criamos uma pesquisa onde Parkinsonianos podem informar alguns dados básicos e relatar os medicamentos de que precisam e suas experiências tentando obtê-los nas farmácias públicas. Se você reside no estado do Rio de Janeiro e é portador da Doença de Parkinson, clique aqui e preencha a pesquisa. É importante que cada pessoa preencha apenas uma vez.


1 Comment

Blan Tavares

maio 21, 2018em 1:03 pm

Minha mãe é Parkinsoniana desde 2007, quando recebeu o diagnóstico do neurologista do Hospital Municipal De Geriatria E Gerontologia Miguel Pedro (atualmente eles estão sem neurologista).
Desde que recebeu o diagnóstico vem respondendo bem ao tratamento com o composto de Carbidopa 25mg+ Levodopa 250mg.
Esse medicamento era distribuído gratuitamente no próprio Hospital Geriátrico mencionado acima, todavia, desde o final de 2016 a farmácia do Hospital fechou, nos orientaram a buscar nos atendimentos “Clínica da Família”, mas infelizmente nunca mais conseguimos essa medicação de forma gratuita, estamos pagando por ela no programa Farmácia Popular e isso nos causa certo impacto orçamento doméstico.
Estamos aqui apoiando toda iniciativa para o justo retorno da distribuição gratuita do medicamento de Parkinson para minha mãe e todos os demais Parkinsonianos.

Leave a Reply